O projeto da trincheira que deverá ser erguida na avenida Pedro I, no trecho em que o viaduto Batalha dos Guararapes desabou, será apresentado em no máximo 60 dias. Conforme o Ministério Público Estadual (MPE), a empresa Consol, responsável pelo projeto do elevado que caiu, se comprometeu a levantar os custos e viabilidade técnica da nova construção. 
 
O acordo foi firmado nesta quinta-feira (23) durante reunião com representantes da Consol, do MPE e da Cowan, que executou o empreendimento na Pedro I. Segundo o MPE, a Cowan se colocou de acordo, mas só irá se manifestar depois do prazo.
 
Após a apresentação do projeto, um novo encontro será agendado para avaliação do projeto e conclusão da proposta. A sugestão da trincheira no lugar do viaduto foi feita pela Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap).
 
Tragédia
 
O elevado Batalha dos Guararapes desabou, em 3 de julho deste ano, durante a Copa do Mundo. Na tragédia, duas pessoas morreram e 23 ficaram feridas. O trecho onde ocorreu a tragédia ficou interditado por quase 90 dias e só foi liberado após a implosão da alça norte da estrutura.
 
O desastre, segundo o promotor Eduardo Nepomuceno, foi resultado de uma sucessão de falhas em todas as etapas de construção do elevado. O primeiro erro foi no cálculo do bloco de sustentação, que teve a quantidade de aço subestimada. Também foram constatados problemas no projeto, que não foi revisto pela construtora, tampouco pela Sudecap. Na execução da obra, foram feitas alterações sem anuência dos órgãos competentes. Além disso, rigores técnicos foram ignorados durante a retirada das escoras que sustentavam a estrutura.
 
Consultoria
 
Depois da tragédia, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) decidiu contratar empresa especializada para fazer consultoria nas obras que estão em andamento na cidade. Conforme a licitação, a empresa vencedora terá que avaliar se os projetos estruturais de infraestrutura, tais como arte especial (pontes, túneis e viadutos), canais, contenções, além das edificações, estão em conformidade com os requisitos estabelecidos pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) NBR 6118/2014.