O projeto "Ação Quitanda Solidária", que produz hortas comunitárias, chegou a mais uma cidade da Região Metropolitana. Dessa vez, Raposos foi beneficiada com a ação, que já funciona na capital, além de Brumadinho, Nova Lima e Itabirito.

Criado em 2020 pelo Instituto Kairós, em parceria com a organização não-governamental Casa de Gentil, a proposta da ação é gerar renda para o pequeno produtor agroecológico e levar gratuitamente alimentos saudáveis para a mesa de milhares de famílias que estão sofrendo com os impactos da Covid-19.

Em Raposos, ainda segundo o Kairós, mesmo antes da implantação da horta, a cidade já recebia 60 cestas agroecologicas quinzenalmente desde setembro de 2020. Cerca de 8 jovens da comunidade participaram da implantação.

De acordo com o grupo, em um ano de funcionamento, já foram distribuídos mais de 18 toneladas de alimentos (4.144 cestas de alimentos orgânicos), beneficiando 327 famílias e implantadas 4 hortas urbanas, gerando renda para 24 famílias de pequenos produtores.

Pessoas interessadas em doar para o projeto podem participar, pelo site https://quitandasolidaria.kairos.org.br. "Todos os recursos doados são destinados para a distribuição de cestas de alimentos agroecológicos e para a implantação de hortas comunitárias nas localidades parceiras", informou o grupo, em nota.

Segundo o instituto, cada cesta contém no mínimo 5 quilos de alimentos, composta por 8 a 10 ítens agroecológicos variados: verduras, legumes, frutas, temperos e tubérculos com capacidade para alimentar e suprir as necessidades nutricionais de quatro pessoas por uma semana.

Tudo é produzido de forma sustentável, reforça o Kairós, por pequenos produtores de Brumadinho, Nova Lima e região. Completando a ação, em cada comunidade atendida são implantadas hortas comunitárias, gerando autonomia produtiva e difundindo os princípios da agrofloresta e práticas sustentáveis de cultivo.

"A Quitanda Solidária é uma forte ferramenta de inclusão social para o momento que estamos vivendo. Não há formas de vencer este tipo de crise sem solidariedade”, diz Rosana Bianchini, fundadora do Instituto Kairós e idealizadora da ação. E completa: “Só podemos ficar bem quando todos estiverem bem. Por isso trabalhamos há 18 anos junto a comunidades locais, incentivando modelos produtivos conscientes de economia circular e desenvolvimento em rede”, completou.

Leia mais:
Mulher é presa em BH transportando dez barras de skunk
Empresário que se calou na CPI da BHTrans é reconvocado, mas consegue liminar para não comparecer
Bicampeão de ciclismo é atropelado pela segunda vez na orla da Lagoa da Pampulha