Promotoria pede à Justiça bloqueio de R$ 20 milhões de mineradora em Congonhas

Cinthya Oliveira
08/07/2019 às 19:50.
Atualizado em 05/09/2021 às 19:27
 (Lucas Prates/Hoje em Dia)

(Lucas Prates/Hoje em Dia)

O Ministério Público de Minas Gerais solicitou à Justiça o bloqueio de R$ 20 milhões da CSN Mineração, nesta segunda-feira (8), para garantir a reativação de uma creche e uma escola que foram fechadas em Congonhas, na região Central de Minas, por serem próximas à barragem Casa de Pedra, que corre risco de rompimento.

O promotor de Justiça da Comarca de Congonhas, Vinícius Alcântara Galvão, argumenta que o bloqueio foi solicitado “como garantia tanto de aluguel e reforma do imóvel que receberá a creche, quanto dos valores pecuniários necessários a construções de novos prédios para substituírem a escola e creche desativadas”.

Em março deste ano, mais de cem alunos de uma escola municipal de Congonhas foram transferidos para outros centros de ensino, enquanto a creche que atendia a 130 crianças de 0 a 4 anos foi fechada. De acordo com o MP, a mineradora não cumpriu com a decisão liminar sobre adequação de imóvel e pagamento de aluguel de um espaço que deveria abrigar o novo endereço da instituição de educação infantil.

“A injustiça da situação é evidente. Enquanto a população sofre todo tipo de restrições, o valor da tonelada de minério de ferro saltou de 65 para 120 dólares”, escreveu o promotor na solicitação.

Procurada pela reportagem, a CSN ainda não se manifestou sobre o assunto.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por