Cerca de 200 carroceiros fecharam a avenida Afonso Pena, no Centro de Belo Horizonte, durante toda a tarde desta terça-feira (19). Eles querem que o prefeito Alexandre Kalil vete o Projeto de Lei 142/17, aprovado em segundo turno na Câmara Municipal, que prevê a redução gradativa do número de veículos de tração animal e humana na capital mineira.

De acordo com a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), a via foi interditada nos dois sentidos, entre a rua da Bahia e a avenida Carandaí. Por conta do protesto, linhas de ônibus precisaram alterar o itinerário.

O projeto foi proposto pelo então vereador Osvaldo Lopes (PSD), hoje deputado estadual, em 2017. O texto foi votado pela Câmara e teve a proposição de lei nº 98/20 enviada ao prefeito em dia 4 de janeiro.

Para a maioria dos vereadores, muitos cavalos são maltratados ao serem usados para puxar carroças.

Já os carroceiros são contra a aprovação do projeto. Um dos integrantes da Associação dos Carroceiros e Carroceiras de Minas Gerais desabafou. “A gente está desesperado, sem saber como será o futuro. Muitos aqui não têm nem leitura, como a gente vai tirar carteira (de habilitação) para trabalhar? Queríamos que tivesse fiscalização às pessoas que trabalham de forma errada, mas eles radicalizaram e tiraram o sustento da família da gente”, disse Wesley Duarte.

Caso aprovada, a lei vai instituir no município o programa Carreto do Bem, que consiste na substituição dos veículos de tração animal por veículos de tração motorizada.

Da porta da prefeitura os manifestantes seguiram para a Praça Sete e o trânsito está fechado nos dois sentidos.