Um publicitário passou por momento de pânico na noite de quinta-feira (4) após ser feito refém e ter uma arma apontada para si, durante pouco mais de uma hora, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. Os três homens que participaram do crime, liberaram a vítima, depois que ela revelou que a sua caminhonete, onde todos estavam, possuía rastreador. A Polícia Militar (PM) acabou prendendo o trio pouco quando possivelmente se preparavam para cometer outro crime.

Conforme a PM, os suspeitos abordaram um homem, que estacionava a sua caminhonete Toyota Hilux, em uma rua do bairro Sion. Um deles, que estava armado, ordenou que o motorista fosse para o banco de trás e, assumiu a direção do veículo. Eles ficaram rodando pelo bairro Belvedere, na mesma região, durante pouco mais de uma hora, até o publicitário revelou que havia um rastreador na caminhonete. Diante disso, o refém foi libertado e, o veículo foi abandonado em um outro local.

Ainda de acordo com a polícia, através de uma denúncia anônima, policiais do 22° Batalhão da Polícia Militar foram até João Antônio Azeredo, onde encontraram Rodrigo Astolpho Morais Rezende de Oliveira, de 21 anos, que estava em um Gol, de cor prata, que estava com a chave de um Toyota e um relógio, que seriam do publicitário. Questionado sobre os produtos, o homem acabou assumindo que havia participado do crime. A poucos metros, os outros dois suspeitos de terem feito o homem de refém também foram localizados. Mário Hillan Dias Medeiros, 19, que estava com um revólver calibre 38, e Roberth Rithelle Lopes Moreira, 22, foram presos.

Ao lado de um posto de combustíveis na rua Celson Porfílo Machado, os militares recuperaram a Hilux. O trio foi encaminhado à Delegacia do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG). Eles revelaram que pretendiam vender a caminhonete por aproximadamente R$ 5 mil.