A professora do curso de Veterinária da PUC Minas, que teria feito comentários racistas a um estudante na última quarta-feira (27), foi demitida pela universidade. Na sexta-feira (29), estudantes fizeram uma manifestação contra a docente na porta do campus Praça da Liberdade.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da PUC Minas se limitou a dizer que a instituição “tomou as medidas cabíveis”, mas não confirmou a demissão, decidindo não comentar o caso.

Os comentários de suposto conteúdo racista teriam sido feitos no momento em que um estudante de Psicologia da UFMG entrou em uma sala do curso de Veterinária para divulgar a realização do Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE).

Um áudio que circulou pelas redes sociais indica uma suposta gravação que mostraria uma fala da professora, direcionando críticas ao estudante: “Vai trabalhar. Tira aquele chinelo e vai ralar. E ainda corta o cabelo e vê se lava, um fedor danado”. Após o ocorrido, a PUC divulgou nota afirmando que o colegiado do curso em questão estava apurando os fatos junto aos envolvidos para tomar as devidas providências.

Uma nota supostamente assinada pela professora circula pelas redes sociais entre alunos e ex-alunos do curso de Veterinária da PUC. No texto, ela teria dito que repudia “veementemente as ilações que estão sendo divulgadas, bem como os ataques que estão sendo proferidos, notadamente por pessoas que não presenciaram o ocorrido… busco sempre o diálogo e a construção de pontes entre as pessoas. Nunca foi e jamais será de minha natureza fomentar o ódio, a discriminação ou a intolerância entre as pessoas”, afirmou.

A reportagem entrou em contato com a empresa em que a professora é uma das sócias, mas ninguém atendeu as ligações.

Leia mais:
Estudantes da PUC Minas protestam após suposto comentário racista de uma professora