Uma quadrilha especializada em furtar celulares, e que estava agindo no meio da multidão da Parada do Orgulho LGBT, em Belo Horizonte, foi presa neste domingo (14). Dos 18 detidos até as 20h50, nove são colombianos. Com os suspeitos, a Polícia Militar apreendeu 127 celulares. 

Conforme o tenente Wesley, responsável pela ocorrência, os estrangeiros vieram para a capital mineira somente para cometer o crime. "Eles estão morando no Rio de Janeiro e chegaram em BH hoje cedo. Vieram com a única intenção de furtar os aparelhos telefônicos na Parada LGBT", contou.

Os primeiros cinco detidos, sendo três colombianos, foram abordados no meio da multidão de aproximadamente 250 mil pessoas. Com eles, os policiais recuperaram 13 celulares. Os suspeitos ficaram calados e não delataram os comparsas, mas, posteriormente, a PM descobriu o esconderijo do bando.

Crime premeditado

"Eles estavam hospedados em um hotel na rua dos Guaranis, no Centro de BH. Foi lá que apreendemos a maioria dos celulares", descreveu o tenente. O oficial contou que uns furtavam os telefones e repassavam para outros suspeitos. "Por isso, poucos foram apreendidos com aparelhos. Mas os que foram capturados com celulares, estavam com muitos equipamentos. Eles agiam em gangue", explicou.

A PM ainda não sabe quantas vítimas a quadrilha fez durante o evento, realizado entre a Praça da Estação e a Praça Raul Soares, no Centro da cidade. "Várias vítimas já reconheceram os suspeitos, mas teremos que identificar os donos dos celulares para que façam o reconhecimento", relatou o tenente Wesley.

Flagrante

Os bandidos foram abordados durante fiscalização realizada pela PM. A corporação não descarta que mais integrantes da quadrilha agiram na Parada do Orgulho LGBT. Os presos e os materiais apreendidos serão levados para a Central de Flagrantes (Ceflan) 2, onde a ocorrência será registrada.

Leia mais:

Bandeiras coloridas, maquiagens extravagantes e diversidade dão tom à Parada do Orgulho LGBT de BH

Ovacionado, Alexandre Kalil pede que participantes da Parada LGBT demonstrem amor