Quatro pessoas suspeitas de envolvimento em incêndios criminosos a ônibus em Belo Horizonte e na Região Metropolitana foram detidas e apresentadas nesta terça-feira (6). O grupo detido prestou depoimento à Polícia Civil, no Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp). O chefe da quadrilha, de acordo com a corporação, tem ligação com uma organização criminosa de São Paulo.

Segundo o delegado Thiago Machado, o bando traficava drogas, praticava lavagem de dinheiro e o chefe da quadrilha era responsável pelo grupo em Minas, recebendo e executando ordens da facção paulista. "Diante das investigações, recolhemos provas de que ele foi um dos responsáveis pelos ataques a ônibus em Minas Gerais", explicou. O delegado ainda disse que o comandante do bando já foi preso por homicídio e tráfico de drogas.

Ainda de acordo com Machado, um dos presos, de 41 anos, era o braço direito do chefe da quadrilha. Ele estaria diretamente ligado ao incêndio de um ônibus que fazia a linha Tupi, em junho. 

Os quatro detidos responderão por associação ao tráfico, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro, organização criminosa e incêndio.