Uma quadrilha de tráfico de drogas chefiada por uma mulher foi desmantelada pela Polícia Civil, que prendeu cinco pessoas, suspeitas de assassinarem um homem a tiros em dezembro do ano passado, na rodovia Papa João Paulo II, em frente à Cidade Administrativa. A líder da quadrilha, no entanto, continua foragida. 

As investigações dão conta de que a vítima era conhecida por gerenciar um comércio de entorpecentes no bairro Morro Alto, em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Há a suspeita de que o homem também negociava drogas variadas com traficantes da capital. 

Ele foi morto a mando da chefe da quadrilha, após furtar entorpecentes dela. Em Itabira, onde a organização criminosa atua, a família da suspeita é temida devido às atividades ilegais que chefia na cidade. O grupo armou uma emboscada para a vítima, com o objetivo de recuperar a droga que havia sido desviada por ele. 

No dia do crime, a suspeita simulou uma negociação com a vítima de compra de drogas, envolvendo R$ 45 mil. Um outro integrante da quadrilha  fingiu ser o comprador. 

O homem acabou sendo morto com vários tiros e, após sua execução, o carro que a quadrilha utilizou para cometer o crime foi interceptado pela Polícia Militar, que encontrou dentro do veículo uma cápsula de munição deflagrada de 9 mm, mesmo calibre utilizado no homicídio. 

Cinco suspeitos estão presos e irão responder por homicídio qualificado por motivo torpe e mediante emboscada. A líder da quadrilha segue foragida.   

Leia mais:

Suspeito de roubo de carga é preso em Betim com 50 aparelhos de TV
Funcionário escondia pistolas e metralhadoras na loja do patrão para 'amigo de infância'