Mesmo diante de novas flexibilizações e melhora nos índices que monitoram a pandemia da Covid-19 em Belo Horizonte, a desobrigação do uso da máscara de proteção, mesmo em espaços abertos, está distante. Especialistas afirmam que a vacinação precisa avançar ainda mais, atingindo no mínimo 80% dos moradores com as duas doses. Atualmente, a cobertura está em 53%.

O assunto voltou a ganhar força nesta terça-feira. Em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a prefeitura retirou a obrigatoriedade do uso em locais abertos ou fechados. A medida faz parte de um decreto e ocorre mesmo com apenas 46,8% da população local totalmente imunizada.

Na capital mineira, nos espaços fechados, como ônibus, lojas, shoppings e escolas, a mascará deve ser utilizada por ainda mais tempo, ao menos até o fim do ano. É o que acredita o infectologista e membro do Comitê de Enfrentamento à doença, Unaí Tupinambás. 

“Acho pouco provável que a prefeitura suspenda a obrigação. Talvez, possamos flexibilizar em espaços abertos, nas ruas, calçadas, pode ser que você possa ficar sem a máscara. Mas acho que temos que esperar que pelo menos 80% estejam com as duas doses”, disse, nesta quarta-feira (6), ao Hoje em Dia (veja vídeo abaixo). 

O avanço na vacinação, de acordo com o médico, é importante em razão do crescimento da variante Delta. “Quanto mais pessoas vacinadas e quanto mais usarmos a máscara, mais rápido iremos controlar a pandemia. E, quem sabe, possamos ter um Carnaval mais feliz do que foi em 2021”. 

Confira o vídeo: 

Leia mais:
Sem distanciamento na sala e ar-condicionado ligado: veja todas as regras para as escolas de BH
Kalil sanciona auxílio emergencial de até R$ 1,2 mil para BH; veja quem pode receber
Nova flexibilização aumenta capacidade de atendimento do comércio de BH; confira regras