Quatorze horas após a confusão ocorrida no Mineirão, depois da derrota para o Atlético pela Copa Libertadores, jogadores e integrantes da comissão técnica do Boca Juniors foram liberados da delegacia de Polícia Civil do bairro Alípio de Melo, na região da Pampulha, em Belo Horizonte.

Eles estavam no local desde o início da madrugada desta quarta-feira (21), prestando esclarecimentos. A liberação ocorreu por volta de 12h20. Conforme informou a Polícia Militar (PM), ao menos quatro pessoas da delegação foram detidas após a briga.

Eles foram protagonistas de uma confusão generalizada na região de acesso aos vestiários do estádio. Revoltados com a arbitragem da partida, atletas e funcionários teriam jogado objetos como garrafas, gradis, lixeiras e bebedouros contra seguranças do Atlético e funcionários da Minas Arena, empresa que administra o Mineirão.

Ainda segundo a PM, um jogador do Boca teria cuspido em dois militares. Os policiais utilizaram spray de pimenta para dispersar a briga.

A equipe foi encaminhada à delegacia de Polícia Civil e um boletim de ocorrência foi registrado por danos ao patrimônio e desacato aos policiais. De acordo com o documento, 13 pessoas foram vítimas de agressão.

Leia mais:
PM diz que foi impedida de realizar segurança em jogo entre Atlético e Boca no Mineirão
Delegação do Boca Juniors passa a noite em delegacia de BH após briga no Mineirão
Em nota, Galo detalha agressões do Boca e depredação de dependências do Mineirão