O governo de Minas informou, nesta quinta-feira (16), que as macrorregiões de saúde Norte, Sul, Noroeste e Sudeste avançaram ondas no Minas Consciente, programa de flexibilização controlada da atividade econômica do Estado, e poderão abrir mais estabelecimentos a partir deste sábado (18). Governo também informou que abriu uma consulta pública para avaliação do desempenho do plano estadual.

As ondas são níveis hierárquicos que orientam quais atividades podem funcionar e são baseadas nos dados epidemiológicos de determinada localidade. São elas: onda verde (apenas serviços essenciais podem funcionar); onda branca (baixo risco); onda amarela (médio risco); e onda
vermelha (alto risco). Veja mais aqui.

A alteração, deliberada pelo Comitê Extraordinário da Covid-19 nessa quarta (15), permitiu que as macrorregiões Norte e Sul avancem para a onda amarela. Nesse nível, é permitido, por exemplo, que papelarias e salões de beleza voltem a funcionar.

Já as macrorregiões Noroeste e Sudeste passaram para a onda branca. Nessa onda, além dos comércios essenciais, podem abrir estabelecimentos de baixo risco, como autoescolas, lojas de artigos esportivos e floriculturas. 

De acordo com o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, o avanço ou retrocesso de ondas é sempre baseado nos dados estatísticos, sanitários e epidemiológicos de uma macrorregião.

Balanço do plano

O gestor atualizou os números de adesão ao Minas Consciente. Segundo Passalio, Minas tem 200 cidades oficialmente participantes do programa, o que atinge cerca de 4,5 milhões de pessoas. A adesão ao plano é opcional. 

Na semana passada, a Justiça de Minas obrigou municípios que não aderirem ao plano Minas Consciente a cumprirem normas de distanciamento social.

Segundo Passalio, o balanço final está dividido da seguinte forma:

  • Onda verde: Centro, Jequitinhonha, Leste, Nordeste, Oeste, Triângulo Norte, Triângulo Sul e Vale do Aço;
  • Onda branca: Centro-Sul, Leste do Sul, Noroeste e Sudeste
  • Amarela: Norte e Sul

Consulta pública

Fernando Passalio informou ainda que o Estado abriu, nesta quinta-feira, uma consulta pública para avaliação do Minas Consciente. Segundo o gestor, todos os cidadãos estão convidados a participarem do processo, que é on-line, pelos sites consultapublica.mg.gov.br e mg.gov.br/minasconsciente.

A consulta estará disponível até a próxima quarta-feira (22). "Essa consulta será importantíssima para que a gente possa fazer algum ajuste, alguma adequação no programa", afirmou.