A Polícia Civil prendeu quatro mulheres, de 21, 24 e duas de 27 anos, sendo três irmãs, suspeitas de participar de um duplo feminicídio, em Carmo do Cajuru, na região Central de Minas. Um quinto suspeito, de 23, segue foragido. A ação foi realizada por agentes da 4ª Delegacia de Carmo do Cajuru com apoio da 1ª Delegacia Regional de Divinópolis e da 3ª Delegacia de Itaúna.

O crime, que aconteceu no último 29 de agosto, começou a ser investigado pelas autoridades no mesmo dia, quando os corpos das duas jovens foram encontrados carbonizados, na zona rural de Marimbondos, em Carmo do Cajuru.

Após realização de perícia no local onde os corpos foram encontrados, além da necropsia, ficou contatado que as vítimas, de 17 e 19 anos, foram mortas por sucessivos golpes de objeto perfurocortante, sendo que, a mais nova, foi atingida 19 vezes, e a outra, por 23 perfurações. Após a morte, ambas foram queimadas, com queimaduras mais fortes nas genitálias e nos rostos.

De acordo com o delegado da Polícia Civil Weslley Amaral de Castro, no princípio das investigações ficou apurado que o crime teria ocorrido em uma residência no bairro Morada Nova II, em Carmo do Cajuro. Averiguou-se também, que o delito teria ocorrido por diversos desentendimentos, entre as vítimas e os suspeitos, desencadeando a morte das duas jovens.

Ainda de acordo com o delegado, um primo das três irmãs suspeitas, que também é investigado, teve um relacionamento amoroso com a vítima maior de idade, e estava inconformado com o fim do relacionamento, e passou a ameaçá-la, quando soube que ela estava se prostituindo.

Conforme constataram as investigações da Polícia Civil, ante o momento, na semana anterior ao crime, as vítimas se envolveram em uma briga, na qual, lesionaram a cunhada das três irmãs investigadas, tendo estas, prometido que tais agressões não ficariam sem punição.

Já no dia do crime, a quarta suspeita, que era namorada do investigado que segue foragido, e amiga das investigadas irmãs, soube que o namorado teria tido um envolvimento amoroso com a vítima menor de idade, tendo então, entrado em contato com as jovens para tirar satisfação. As vítimas alegaram que uma das três irmãs era o verdadeiro “pivô” da traição.

Indignadas com as alegações, as quatro suspeitas, na companhia de um adolescente, irmão das três irmãs investigadas e do suspeito que segue foragido, atraíram as vítimas até a casa de uma das investigadas, com a alegação de que fariam uso de bebidas alcoólicas e drogas, construindo a oportunidade para amarrá-las e amordaçá-las, passando a torturá-las de diversas formas e posteriormente assassiná-las, tendo o suspeito foragido transportado os corpos até a Zona Rural.

Segundo o delegado Weslley Amaral de Castro, as investigações prosseguirão para que os fatos sejam completamente elucidados, sendo que as quatro suspeitas detidas serão levadas ao presídio Floramar, em Divinópolis, onde ficarão presas temporariamente por 30 dias.

Os investigados responderão pelo crime de homicídio qualificado por feminicídio; motivo torpe, impossibilidade de defesa, além de tortura e ocultação de cadáver, podendo ser condenados a 30 anos de prisão cada um.

Leia mais:
Homem é preso após atropelar ex e o atual namorado dela em Sabará
Mulher carrega 4kg de cocaína presos ao corpo e é flagrada por cão farejador no aeroporto