Militares e agentes de combate a endemias vistoriam imóveis em 13 bairros de Belo Horizonte para combater o mosquito Aedes aegypti, na manhã desta terça-feira (16). Essa foi a primeira ação em que os militares do exército e da aeronáutica entraram nas residências para orientar os moradores.

Segundo o tenente-coronel Júlio Cesar Alves Rolszt, ao todo, são 400 militares envolvidos nas vistorias. Em 22 cidades do interior, são 2 mil homens das corporações deslocados para o combate ao mosquito. “Estamos atuando com as equipes de endemias, sempre há dois ou três militares com um agente compondo a equipe”, explicou Rolszt, que comanda os trabalhos. 

Para apoiarem as vistorias, os militares passaram por uma capacitação com uma especialista da prefeitura. As vistorias com o apoio das corporações se estendem até esta quinta-feira (18). 

Apoio

Para a aposentada Rose Davi, de 54 anos, o apoio dos militares é muito positivo. “Às vezes, o agente não é muito respeitado. Tem pessoas que não abrem a casa. A presença do agente dá mais 'moral'”, observou Rose, que teve a residência, localizada no bairro Carlos Prates, região Noroeste, vistoriada por três militares e um agente de combate a endemias.

Mesmo com várias plantas e uma piscina, nenhum foco do mosquito foi encontrado na casa da aposentada. “A gente sempre mantém o quintal limpo. Cada um tem que fazer a sua parte”, afirmou.