A Polícia Civil informou que prendeu nesta terça-feira (2) o quinto suspeito de participação na morte do casal Higor Humberto Fonseca Sousa, de 26 anos, e Rafaela D'Eluz Giordani de Sousa, de 21. As vítimas foram brutalmente assassinadas em Araxá no Alto do Paranaíba, no dia 23 de janeiro. Sobre os corpos, os bandidos jogaram fubá e açúcar. Higor era filho do vice-presidente administrativo do Esporte Clube Mamoré, Humberto Souza.

A prisão do rapaz de 22 anos aconteceu no bairro Chacará Tubalina, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Segundo os investigadores que partiparam da detenção, o suspeito estava escondido dentro de um guarda-roupa. Ele não apresentou resistência.

O jovem, segundo a polícia, foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal (IML), onde foi submetido a exame de corpo de delito. Depois ele foi levado para o presídio de Araxá, onde permanecerá a disposição da Justiça.

A corporação disse que até o momento cinco suspeitos foram detidos, sendo dois adolescentes de 17 anos. Dois dos possíveis autores do crime seriam funcionários de Higor.

Suspeitos

Na quarta-feira (28), a polícia deteve quatro suspeitos de cometer o crime, sendo dois adolescentes. A polícia investiga o caso e trabalha com a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte).

As apurações iniciais apontaram que dois dos suspeitos, de 18 e 20 anos, eram ex-funcionários de Higor. Os detidos foram ouvidos e participaram de uma acareação informal. À polícia, eles relataram que foram até o imóvel do casal com o intuito de furtar. Contudo, ao entrarem na casa, teriam se deparado com Higor, que reagiu e tirou a arma das mãos de um dos adolescentes.

A vítima, segundo os suspeitos, ainda teria tentado atirar no bando. Contudo, a arma falhou, momento em que os suspeitos teriam matado o casal. Aos investigadores, os suspeitos afirmaram ainda que estavam sob o efeito de drogas. Duas motocicletas utilizadas para transportar o bando foram apreendidas. Os investigadores estão à procura de um quinto homem que teria participado diretamente do crime, além do receptador da caminhonete.

O crime

De acordo com a Polícia Militar, Higor Humberto Fonseca de Souza, de 26 anos, e a mulher dele Rafaela D'Eluz Giordani, de 21 anos, foram esfaqueados várias vezes. O rapaz foi golpeado 101 vezes no peito e o corpo estava coberto com fubá de milho. Já a companheira dele foi encontrada amarrada e amordaçada. Ela foi atingida 12 vezes somente no pescoço. Ela ainda tinha açúcar cristal espalhado pelo rosto e tórax. Higor é filho do dirigente do Mamoré Geraldo Humberto Souza, conhecido como Beto Radiadores.

O crime aconteceu na residência do casal, no bairro Veredas do Belvedere, em Araxá, no Alto Parabaíba. Consta no boletim de ocorrências que a caminhonete da vítima, uma S10 preta, de placa OQV 3619, além de dois televisores foram levados pelos bandidos. Uma testemunha disse que Higor guardava uma quantia em dinheiro em casa, algo em torno de R$ 5 mil. O dinheiro não foi encontrado.

Familiares e amigos alegaram para a polícia que as vítimas não tinham inimigos e não estavam recebendo ameaças. Os corpos do casal foram sepultados no domingo (24).