O principal suspeito de ter matado a universitária Sara Teixeira de Souza, de 35 anos, estava foragido desde 15 de maio. Conforme a Polícia Civil, havia mandado de prisão contra Leandro Dantas de Freitas, de 28 anos, mas após quatro diligências o rapaz não foi localizado e detido.
 
Ele foi preso na terça-feira (5) por esfaquear sua ex-namorada, estudante de medicina. Depois do homicídio, Leandro fugiu, mas foi localizado e acabou confessando o crime. O homem teria cometido o homicídio por motivo passional, já que não aceitava o fim do relacionamento do casal. O assassinato ocorreu no apartamento da vítima, no bairro Ibituruna, em Montes Claros, região Norte de Minas.
 
De acordo com a delegado Bruno Rezende da Silveira, da delegacia de Homicídios, em 28 de fevereiro deste ano Sara procurou a Delegacia de Mulheres e informou que estava sendo importunada pelo ex. No mesmo dia, a delegada da unidade encaminhou pedido de medida protetiva para o Fórum, mas até hoje não houve retorno. Desde aquela data, Sara não voltou a prestar queixa contra Leandro.
 
Outra mulher também já havia prestado queixa contra o rapaz e conseguiu a medida protetiva, por isso foi decretado pedido de prisão preventiva. No entanto, o documento foi expedido em nome de Sara. O delegado irá apurar, além das causas do assassinato, porque não teve resposta da medida protetiva de Sara e porque o mandado de prisão em nome da outra vítima foi expedido com se fosse da estudante de medicina.
 
O suspeito do crime está detido no Presídio Regional de Montes Claros, conforme informou a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). O corpo de Sara está previsto para ser sepultado ainda nesta quarta-feira em Porteirinha.