O reajuste de 5,9% da tarifa do metrô de Belo Horizonte, que estava previsto para este sábado (20), foi adiado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). A passagem, que custaria R$ 4,50 a partir de amanhã, seguirá no valor de R$ 4,25.

A medida foi tomada em solicitação a um pedido do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Um reajuste previsto para Recife, em Pernambuco, também foi adiado.

"Em Pernambuco e em Minas Gerais estão sendo adotadas ações restritivas que vão se estender, ao menos, até o fim de março. Além disso, cerca de 80% dos passageiros da CBTU recebem até um salário mínimo e meio por mês. Por isso, solicitamos a manutenção das tarifas atuais, de modo a dar, nesse período difícil, algum tipo de auxílio aos milhares de passageiros que utilizam os trens da companhia nestes estados", destacou Rogério Marinho.

O valor atual do bilhete em é de R$ 4,25 e passaria a ser de R$ 4,50. O adiamento vale até 17 de abril, quando eventual reajuste de preços será novamente avaliado pela CBTU.

Desde maio de 2019, quando a passagem do modal custava R$ 1,80, sete aumentos foram feitos sob a justificativa de que não houve nenhuma mudança em 13 anos. Assim, determinou-se um cronograma de acréscimos subsequentes no valor até chegar a R$ 4,25, praticado desde 8 de março de 2020.

Leia mais:
Conselho Municipal de Saúde recomenda decretação de lockdown em BH por 21 dias
Governo de Minas e Vale assinam acordo para 'fábrica de mosquitos' para combater a dengue
'CPI dos Fura-Fila' também vai investigar vacinação de servidores da Assembleia contra a Covid-19