A tecnologia de reconhecimento facial será usada pela Polícia Militar durante a Copa América. Os agentes, ao identificarem alguma atitude suspeita, poderão cruzar as imagens obtidas com um banco de fotos e dados de foragidos e pessoas com mandados de prisão em aberto. 

A informação foi adiantada pelo Hoje em Dia, na semana passada. O tempo para cruzamento das imagens é de até 5 segundos e as fotos são descartadas logo em seguida. Se a pessoa tem envolvimento com o crime, a plataforma de reconhecimento facial vai fazer a identificação, antes mesmo da abordagem policial. 

O software foi desenvolvido pela Secretaria de Administração Prisional (Seap) e já está em uso em unidades prisionais do Estado.

Reforço

O policiamento será reforçado no entorno do Mineirão, nos aeroportos, hotéis e áreas turísticas da capital. Apenas o Batalhão Copa da Polícia Militar contará com mais de de mil homens e mulheres da administração deslocados para as ruas. 

O Batalhão de Operações Especiais da PM (Bope) fará vistorias antibombas em hotéis, no estádio, entre outros locais. Todas as escoltas serão monitoradas por câmeras, desde a saída das delegações do aeroporto, passagem por vias da cidade, até a chegada ao estádio, hotéis ou centros de treinamento. 

Ao todo, dez instituições estaduais, federais e municipais trabalharão, de forma integrada, para garantir a segurança durante o evento esportivo. Os trabalhos já começaram com a chegada da delegação do Equador e duram até 7 de julho – data da final competição.

(Com informações da Agência Minas)