O infectologista Estevão Urbano, do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da prefeitura de Belo Horizonte, alerta que o sistema de saúde da capital está perto de um colapso. Segundo boletim epidemiológico divulgado nessa quinta (7) pela PBH, 85,1% dos 545 leitos de UTI dos hospitais das redes pública e privada da capital estão ocupados, principal razão pela qual o prefeito Alexandre Kalil decretou lockdown a partir da próxima segunda-feira (11).

Segundo o infectologista, a taxa de transmissão aumentou após as festas de fim de ano e os casos de coronavírus contraídos nesse período vão começar a ser contabilizados a partir da próxima semana, o que deve impactar ainda mais a rede de saúde da capital.    

A saturação do sistema também envolve os profissionais que trabalham nas unidades de terapia intensiva. Cada equipe tem, pelo menos, 5 pessoas para atender um leito com paciente em estado grave.

A decisão de fechar novamente alguns setores não considerados essenciais foi para evitar a sobrecarga na rede de saúde, diz Estevão Urbano, que compara a situação no início de janeiro de 2021 ao mês de julho de 2020, quando foi registrado o primeiro pico de coronavírus na capital. A boa notícia é que o fechamento desta vez deve durar pouco, já que a previsão é que a vacinação deve começar até o início de fevereiro em Belo Horizonte.

Acompanhe a entrevista na íntegra.