O presídio de Ubá, na região da Zona da Mata, inaugurou nesta segunda-feira (17) 75 novas vagas. Com os novos leitos, a unidade prisional conseguiu dobrar a capacidade. Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), a obra custou cerca de R$ 300 mil e foi viabilizada por parcerias com empresas e instituições da comarca.
 
Aproximadamente 80 presos trabalharam na ampliação. Boa parte deles não tinha experiência alguma na construção civil e se qualificaram para o mercado de trabalho nas áreas de alvenaria, pintura, eletricidade e hidráulica predial.
 
O prefeito de Ubá, Vadinho Baião, e o juiz Nilo Marques tiveram papel fundamental na articulação de apoios da sociedade local, por meio de entidades como o Rotary Club e a OAB e de empresas do polo moveleiro e também da Prefeitura de Tocantins, que doaram materiais e serviços para a obra.
 
“Para terem sucesso, essas parcerias dependem da credibilidade e seriedade do Poder Executivo. A Seds tem se esforçado para merecer essas contribuições, que se somam a investimentos do Governo do Estado, como a construção de um novo Presídio de Ubá, projetado para 388 vagas, com R$16,7 milhões em recursos públicos estaduais e federais”, diz o secretário de Estado de Defesa Social, Bernardo Santana.
 
Além da ampliação de vagas para presos, a obra no atual Presídio de Ubá incluiu a construção de garagem para viaturas, salão família e ala de atendimento da OAB, com dois parlatórios, recepção e cela de espera.
 
O diretor-geral da unidade, Alexandre Henrique Ferrari, observou que o projeto de ampliação era antigo, mas só deslanchou em 2015. Segundo ele, o plano de continuidade das obras foi apresentado recentemente no âmbito de edital lançado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).  Estão sendo pleiteados R$ 200 mil da instituição para dotar o Presídio de Ubá de um terceiro piso, com mobiliário e equipamentos para abrigar salas de atendimento jurídico e psicossocial e uma sala de reunião.
 
(* Com Agência Minas)