As regiões Oeste, Pampulha e Centro-Sul lideram, nesta quinta-feira (14), o número de casos mais graves confirmados para a Covid-19 em Belo Horizonte. São 165 pessoas, sendo 30 delas moradores de bairros da região Oeste; 22 da Pampulha; e 19 da Centro-Sul. Ao todo, BH tem 1.048 casos confirmados, com 28 óbitos. O documento também apresenta o índice de mortes por gênero e fatores de risco (veja abaixo).

Os números estão presentes no boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura de BH. O informe traz os números das demais regionais: Barreiro, com 15 casos; Noroeste, com 14; Leste, com 13; Nordeste, com 12; Venda Nova, com oito; e Norte, sendo quatro pessoas com casos mais graves. São 1.040 casos confirmados na capital. 

Veja na imagem:

boletim 13/5

Clique na imagem para ampliá-la

Número de mortes por regional

Apesar de não ter o maior número de casos mais graves, a região Centro-Sul está na frente em um ranking ruim. Das 28 mortes atestadas para a doença causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2), seis são de pessoas que moravam naquela área, onde estão bairros como Funcionários, Santo Agostinho e Santo Antônio.

Em seguida, vêm: Nordeste e Noroeste, cada uma com quatro óbitos; e Barreiro, Leste, Norte e Oeste, com três mortes cada uma. Por fim, Venda Nova e Pampulha têm um óbito cada. 

Por gênero

O boletim também mostra que, do total de pessoas vitimadas pela Covid-19, 17 eram mulheres e 11 eram homens. Todos eles, segundo o documento, tinham pelo menos um fator de risco ou comorbidade, sendo os três pincipais motivos o fato de serem pessoas com mais de 60 anos (22 mortes); de serem diabéticas (12 mortes); e cardiopatas (nove casos). Veja abaixo:

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 13/5

Gráfico traz fatores de risco e comorbidades para pessoas vitimadas em BH

O boletim epidemiológico completo pode ser visto aqui.