O empresário Antônio Eustáquio Rodrigues, de 64 anos, conhecido como o “Rei da Cachaça”, foi transferido na tarde dessa quarta-feira (20). Ele estava no presídio de Pedra Azul e foi para o de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) nesta quinta-feira (21), que informou que esse foi um procedimento “rotineiro”.
 
O empresário foi preso no dia 12 de agosto em Salinas, no Norte de Minas, suspeito de tentativa de crimes sexuais e homicídios. Ele é conhecido como "Rei da Cachaça" por ser dono das empresas de aguardente Seleta, Saliboa e Boazinha.
 
As investigações da Polícia Civil, em parceria com o Ministério Público de Minas (MPE), duraram cerca de cinco meses. Conforme o delegado José Eduardo Gonçalves, o inquérito segue em segredo de Justiça e, por isso, não repassou detalhes sobre o caso.
 
Os supostos crimes cometidos pelo "Rei da Cachaça" começaram a ser investigados após denúncia. Durante a apuração dos delitos, foram realizadas diversas oitivas.