As celebrações da Quinta-feira Santa começaram cedo na capital mineira. Mais de 10 mil pessoas, entre fiéis e religiosos de Belo Horizonte e outras 27 cidades que integram a Arquidiocese de BH, acompanham a Missa da Unidade, realizada nesta manhã, no Mineirinho, na região da Pampulha. Na cerimônia, presidida pelo arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, são realizadas a bênção sacramentais e a renovação dos votos sacerdotais.

Tradição da igreja católica, a missa, celebrada há 96 anos na capital mineira e há 37 no Mineirinho, é a primeira cerimônia do Tríduo Pascal - três dias celebrados no cristianismo: Quinta-Feira Santa, Sexta-Feira da Paixão e Vigília Pascal, véspera do Domingo de Páscoa. 

À frente da cerimônia, Dom Walmor reforçou a importância da missa como elo entre os fiéis e a igreja e lembrou a necessidade da comunhão e do amor. "A Quinta-feira Santa é quando todos nós somos chamados a seguir os passos de Jesus e iniciarmos a renovação da comunhão em nossos corações. É um momento bonito em que o grande convite é fixar nosso olhar em Cristo para que possamos caminhar com amor, promovendo a justiça, a paz e a solidariedade", ressaltou o religioso.

Renovação

Esta é a primeira vez que o padre Antônio Roberto de Oliveira, da Paróquia Santa Efigênia, em Nova Lima, na Grande BH, participa da Missa da Unidade como religioso. Minutos antes de entrar no estádio ele reforçou a importância da celebração. "A Missa da Unidade tem duas importantes funções: a renovação dos votos sacerdotais, por meio dos quais trabalhamos a unidade do povo com a sua igreja, e a unção dos óleos dos sacramentos".

Durante a celebração, em um momento de fé e emoção, os sacerdotes renovaram o compromisso com a igreja. Também foram abençoados os santos óleos, que serão usados nos sacramentos do batismo, crisma e unção dos enfermos.

Tradição 

As amigas Sinéide Ferreira Coelho, de 63 anos, Maria das Graças dos Santos, 68, e Bernadete de Lourdes Rodrigues, 73, chegaram cedo pra garantir um bom lugar no estádio. Para elas, a celebração é o mais importante evento da Semana Santa e serve não só para dar início à Paixão de Cristo, mas para agradecer. "É um momento de bênçãos, mas também de agradecer muito. Sempre que posso venho, pois, pra mim, é a missa mais linda que tem", comentou Sinéide, que acordou as 5h para chegar a tempo.

A celebração, que começou às 9h, deve seguir até 11h, no Mineirinho.