O impasse sobre a redução de salário e jornada dos professores das escolas particulares de Minas ganha novo capítulo nesta terça-feira (26). Representantes do sindicato da categoria vão se reunir com promotores do Ministério Público para debater a situação dos docentes.

Na semana passada, o Tribunal Regional do Trabalho em Minas Gerais (TRT-MG) autorizou o corte da remuneração, baseado na Medida Provisória 936 - que prevê a redução de jornada e salário por até três meses. A decisão suspendeu uma liminar que garantia o pagamento integral aos professores.

A reunião desta terça está prevista para 15h. O teor da proposta que será feita pelo Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep-MG) não foi informado. Mas, a presidente da entidade, Zuleica Reis, disse que pretende "buscar saídas para a manutenção do emprego dos professores e o funcionamento das instituições".

Por causa da pandemia do novo coronavírus, as escolas de Minas - públicas e privadas - estão sem aulas presenciais. Por enquanto, não há previsão para o retorno dos estudantes às salas de aula.