O rosto dos seis suspeitos de espancar o universitário Thiago Alencar da Costa, 22 anos, no último domingo (5), em Abaeté, na região Central de Minas, passou a circular no Whatsapp e em redes sociais em um cartaz que simula o Velho Oeste.

Na imagem, textos em inglês dizem "Procurado Morto ou Vivo" e refere-se à cidade onde o crime aconteceu como "AbaeTEXAS".

O cartaz traz até recompensa de $ 250,000.

Entenda o caso

O espancamento do jovem foi flagrado por câmeras de segurança de um posto de gasolina na cidade de Abaeté. Testemunhas contaram que o jovem atleticano teria feito várias provocações a um grupo de cruzeirenses, cantando o hino do Atlético e músicas da torcida do Galo.

No vídeo é possível ver que pelo menos quatro rapazes participam diretamente das agressões. Eles chutaram Thiago por todo o corpo até o rapaz ficar desacordado. Os agressores só pararam depois que uma pessoa se deitou sobre o jovem impedindo que o espancamento continuasse.

Um dos suspeitos de participar do espancamento do universitário é filho do vice-presidente da Câmara de Vereadores da cidade, Valdeci José da Silva, o Valdeci Cachorrão (PSD). "Eu estou indignado, envergonhado e arrasado com este crime. Isso não é coisa que se faz. Imagina? Espancar uma pessoa! Jamais, por motivo algum, isso deve ser feito. Eu nunca ensinei isso para meu filho", afirma o vereador.

Segundo ele, a cada momento uma nova versão é apresentada a ele. "Já me disseram que tinham bebido demais, mas nada justifica. Quando tudo isso aconteceu eu estava dormindo, mal podia imaginar. Agora meu filho está transtornado, mas ele já tem 20 anos e é responsável por seus atos", completou o pai do rapaz.

O universitário está internado em estado grave no Hospital Mater Dei, em Belo Horizonte, com traumatismo encefálico, depois que ter sido espancado por um grupo de jovens.