As 30 viaturas do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam) que atuam em Belo Horizonte e região metropolitana vão passar a contar com um sistema de monitoramento on-line e em tempo real. A Polícia Militar (PM) oficializou nesta quinta-feira (16) o projeto Delfos, que instalou uma central de controle integrado na sede da unidade.

O projeto, nomeado em homenagem ao Oráculo da mitologia grega, unifica em uma sala de controle equipamentos de geo-posicionamento, câmeras com leitores OCR (usados para detecção e leitura automática de placas automotivas) e as 600 câmeras do Programa Olho Vivo à disposição das viaturas e helicópteros. Tablets instalados nos carros da Rotam vão dar acesso ao banco de dados da polícia, permitindo a abordagem em tempo real.

“Nossa intenção é ter uma ação mais qualificada nas ruas, disponibilizar informações até então dispersas. Estamos inaugurando hoje o Delfos em caráter de testes e vamos afinar a tecnologia para espalhar posteriormente para outros batalhões da cidade”, disse o diretor de tecnologia e sistemas da PM, coronel Fernando Arantes.

Durante o lançamento, A Rotam simulou uma perseguição ao vivo de um carro em fuga. Com alternância de câmeras, fotos do veículo enviadas em tempo real e imageamento aéreo com uma câmera instalada no helicóptero do batalhão, as viaturas conseguiram cercar os suspeitos em cinco minutos.

Ainda de acordo com o coronel, a polícia está testando um aplicativo que vai permitir a qualquer usuário da região Metropolitana ter o celular rastreado em caso de furto ou roubo.

A ideia é que, no futuro, o alerta seja enviado à sala de operações, que vai conseguir encontrar as viaturas mais próximas da ocorrência e deslocar oficiais para a abordagem. O sistema está sendo testado para celulares Android e iPhones. Não há previsão de lançamento.

O evento também contou com uma solenidade que comemorou os 35 anos do serviço Rotam e 15 desde a instalação do batalhão. Policiais que se destacaram em serviço foram condecorados em uma cerimônia com participação do secretário de Estado de Defesa Social, Sérgio Menezes, e com o presidente da Câmara de Belo Horizonte, vereador Wellington Magalhães.