O ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciou, na manhã desta quinta-feira (29), a construção de um novo campus da Universidade Federal de Lavras (Ufla) em São Sebastião do Paraíso, no Sul de Minas. O anúncio foi feito durante uma visita ao terreno onde o prédio será construído. O valor total estimado pela instituição para as obras do campus é de R$ 36,3 milhões. As atividades devem ser iniciadas, em instalações provisórias, já no segundo semestre de 2018.

A criação e a implantação do campus já foram aprovadas pelo conselho universitário da instituição. Após a tramitação pelas secretarias responsáveis no MEC, o processo será submetido à decisão do Conselho Nacional de Educação (CNE).

O fato de São Sebastião do Paraíso ser referência na agroindústria em Minas Gerais foi fundamental para a escolha da Ufla, segundo o reitor José Roberto Scolforo. “A Ufla fez a opção de vir para Paraíso porque nós observamos que esta é uma região estratégica, pois tem a pujança do agronegócio. Com esse campus, nós poderemos contribuir muito para a economia local. E o foco que vamos trabalhar aqui é a questão de cursos de engenharia voltados para a inovação tecnológica”, afirmou.

Tecnologia

Inicialmente, o campus Paraíso pretende ofertar os cursos de bacharelado interdisciplinar em ciência e tecnologia (BICT), com duração de três anos, e três cursos de engenharia (produção, software e uma terceira com a nomenclatura ainda a ser definida), com duração de dois anos.

O BICT terá como fio condutor a formação para a ciência e a tecnologia relacionadas com o agronegócio e com o arranjo produtivo agropecuário. Num segundo momento, quando seguirem estudos para formação de pesquisadores o bacharelado poderá ingressar em programas de mestrado ou doutorado. Todos os ingressantes das engenharias terão como formação inicial o BICT. Concluída essa etapa, poderão optar por um dos três cursos ofertados no campus. A previsão é que cada curso de engenharia conte com 60 vagas anuais, totalizando 180 vagas anuais na graduação. Posteriormente, o campus pretende oferecer também um programa de mestrado profissional em tecnologias para a agroindústria.

O projeto prevê que o campus seja implantado em uma área de 150 mil m², no bairro de Jardim Mediterranée. O espaço já possui ampla infraestrutura de urbanização, o que ajuda na agilização das obras. A área, que pertencia ao Serviço Social do Comércio (Sesc), está sendo cedida para a prefeitura doar à universidade, recebendo em troca as instalações da praça de Esportes Castelo Branco, em uma transação já autorizada pela Câmara.

Fonte: MEC