A leitura é fonte de prazer para muitas pessoas, mas pode ser um grande sacrifício para outras. Letras desfocadas e a sensação de que estão se movimentando, aglomerando-se ou até desaparecendo, causam impacto na atenção e compreensão do texto.

Esses são alguns sinais da Síndrome de Irlen, um distúrbio do sistema visual que tem como sintomas mais comuns a dificuldade de adaptação à luz, desorganização espacial (noção de direita, esquerda, em cima e embaixo) e desconforto com o movimento e com figuras complexas e de alto contraste.

Antes de descobrir a doença, aos 52 anos, Luiz Carlos Madureira Martins diz ter sofrido muitos constrangimentos. “Eu achava que as dificuldades que eu tinha eram normais e, quando os sintomas de irritabilidade e desconforto estavam aflorados, eu tentava esconder”, lembra o pedagogo, que usava régua para ler e preferia as provas orais na faculdade, pois escrever também exigia muito sacrifício.

A chefe do Departamento de Distúrbios de Aprendizagem Relacionados à Visão e diretora do Hospital de Olhos, Márcia Guimarães, explica que a primeira manifestação da síndrome é a fotofobia, geralmente relatada como percepção de brilho excessivo no papel que compete com o texto impresso, desviando a atenção do leitor.

“Esta fotossensibilidade estende-se a todos os aspectos da vida diária, como, por exemplo, quando há exposição direta à luz solar ou fluorescente, faróis de carros, ambientes como shoppings e supermercados, bancos, escolas e laboratórios, apresentando desconforto”.


Bloqueio da luz

Conforme o oftalmologista Ricardo Guimarães, diretor do Hospital de Olhos, o tratamento não é feito de forma invasiva. “De uma maneira simplista, consiste em bloquear partes da luz que trazem incômodo ao paciente. O filtro de bloqueio espectral pode ser colocado em óculos específicos ou lentes de contato”, afirma.

No caso de Luiz, os óculos com filtro deram um novo sentido à vida dele. “Descobrir o que eu realmente tinha foi um alívio muito grande, pois pude me tratar corretamente e passar a viver normalmente, como qualquer pessoa. Com os óculos apropriados, comecei a enxergar como nunca tinha visto antes”, conta.

Saiba mais sobre a Síndrome de Irlen no site www.dislexiadeleitura.com.br, onde há também o contato de diversos profissionais especializados no tratamento da doença.