Um dos sócios do buffet que encerrou as atividades e lesou pelo menos 400 clientes em Belo Horizonte teve dinheiro bloqueado pela Justiça. Uma liminar favorável a um dos lesados foi concedida nessa quinta-feira (15). Com a decisão, R$ 6 mil foram bloqueados da conta de Simone Pereira Passos, uma das donas do Buffet Tereza Cavalcanti. O valor corresponde ao montante pago pelos noivos Alexandre Scotti e Vanessa Souza Pinto. O casal fez o pagamento na semana anterior de ser informado que os proprietários da empresa decretaram falência.
 
No despacho, o juiz da 11ª Vara Cível da capital mineira também determinou prazo de 30 dias para que a medida entre em vigor. O magistrado ainda recomendou que o mandado seja cumprido "com urgência".
 
De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o Buffet Tereza Cavalcati já é alvo de pelo menos 18 ações.
 
O encerramento das atividades do buffet veio a tona na última quarta-feira (14). Indignados, os clientes da empresa foram até a sede da empresa, no bairro Santa Amélia, na região da Pampulha, onde foram informados por outros lesados que todos os funcionários haviam sido demitidos. Em seguida, a maioria registrou boletins de ocorrências na Polícia Militar (PM).
 
O caso já é investigado pela Polícia Civil (PC) e a responsável pelos trabalhos, a delegada Wanessa Martins, deve intimar os donos do buffet nos próximos dias. A empresária Terezinha Neves Pereira Cavalcanti e os filhos Simone Pereira Passos e Luiz Fernando Cavalcanti sumiram depois da repercussão da falência. A família tinha 150 funcionários em três unidades, que funcionavam nos bairros Santa Amélia e Santa Teresinha, na Pampulha, e no Belvedere, na região Centro-Sul de BH. O espaço de festas Galaxy Eventos e o Maria Fernanda Buffet também são administrados pelos investigados.