O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Agostinho Patrus (PV), disse nesta segunda-feira (1º), após ser empossado para o segundo mandato de dois anos no comando da Casa, que, entre prioridades do trabalho dos parlamentares, neste início de ano, está a de garantir vacinas contra a Covid-19 para todos os mineiros. Isso inclui esforços para combater os fura-filas da imunização.

"Já aprovamos uma legislação que dá direito a todos os mineiros e mineiras a receberem a vacina e temos um requerimento na casa, a ser votado, que solicita ao Estado que o nome de cada pessoa que receber a vacina seja enviado à Assembleia", disse Patrus, em coletiva após a cerimônia de posse.

"Porque estamos vendo inúmeros casos de fura-filas, e de pessoas que não poderiam estar sendo vacinadas, mas estão", acrescentou. O parlamentar se referiu a certos grupos de profissionais que, embora estejam na lista de prioridades da vacinação, do Estado e de municípios, não deveriam, em sua opinião, passar à frente de idosos, por exemplo. 

"A gente está vendo alguns setores de trabalhadores que foram envolvidos e colocados como essenciais na (lista da) vacina, como fonoaudiólogos que (alguns) sequer estão indo a um hospital. Recebem vacina na frente de pessoas com muita idade. Isso me parece um contrassenso porque acredito que é hora de vacinarmos os velhinhos em Minas Gerais", afirmou Patrus.

"Não dá para deixar de vacinar aquele senhor de 90 anos, aquela senhora de 80, ou deixar que sejam vacinados depois de alguns grupos. Como os fisioterapeutas: aqueles que estão envolvidos no trabalho diário, com toda certeza têm que receber; mas não podemos tratar iguais todos os membros dessa categoria. Se não vamos vacinar pessoas com 20 e poucos anos e deixar pessoas com 80, 90 sem a possibilidade de vacina e desesperadas porque, infelizmente, a pandemia cresce em todo o Estado", completou.