Com o fim do prazo para retirada das capivaras da orla da Lagoa da Pampulha na próxima quinta-feira (24), o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, afirmou que ainda não sabe em que data os animais serão levados para cativeiro, mas assegurou que elas serão destinadas a um local cercado no parque.

A prefeitura tem dois dias para cumprir o prazo judicial e, caso não isole as capivaras até lá, deverá pagar multa R$5 mil por dia de atraso. 

"Esse isolamento está sendo preparado, não sei que dia elas serão isoladas, mas o local de cercamento já está sendo preparado no parque, no mesmo local que foi antes", disse Lacerda.

Em 2014, a prefeitura chegou a retirar as capivaras da Lagoa da Pampulha e as encaminhou para cativeiro no Parque Ecológico. No entanto, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pediu a soltura dos animais em 2015.

A situação das capivaras tornou a vir à tona em setembro deste ano, com a morte do menino Thales Martins Cruz, de 10 anos. O escoteiro foi vítima de febre maculosa após frequentar o Parque Ecológico da Pampulha. A doença tem como vetor o carrapato-estrela, que se hospeda em animais como as capivaras da orla. 

A nova decisão de isolamento é da Justiça Federal e foi expedida pelo desembargador federal Souza Prudente, da 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) atendendo a pedido feito pela Associação Pró-Interesses do bairro Bandeirantes (APIBB).