A cidade do Rio de Janeiro está enfrentando um surto de gripe causada pelo vírus Influenza. De acordo com o portal G1, a situação é tão grave que causou aumento de 400% na procura pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) na capital.

O surto teria começado na favela da Rocinha há uma semana e se espalhou pela cidade e por outros municípios do Grande Rio. As vítimas procuraram atendimento de urgência relatando dores de cabeça e no corpo, febre e sinais de resfriado, afirma o G1.

O aumento de casos de Influenza no Rio vem causando temor em outros estados, inclusive Minas Gerais. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), a recomendação é que a oferta da vacina da gripe seja ampliada para toda a população acima de 6 meses, enquanto durarem os estoques dos imunizantes.

“Foi solicitado que os municípios desenvolvam estratégias que visem melhorar o desempenho da vacinação de todos os grupos prioritários, na perspectiva de alcançar a meta mínima de 90% de cobertura vacinal, de forma homogênea, além de garantir a proteção dos grupos prioritários”, diz a SES-MG.

Na capital

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte (SMS-BH), há um monitoramento constante de todos os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) nos hospitais e UPAs da cidade.

Além disso, a secretaria esclarece que o município possui um plano de contingência contra o vírus Influenza e outras doenças respiratórias. “Desde 2020 o combate à Covid-19 foi incorporado a esse plano. O plano prevê abertura e ampliação de serviços e monitoramento dos casos de doenças respiratórias no município”, diz a SMS-BH. O órgão da Prefeitura explica ainda que “não há um surto de Influenza na capital”.

Leia mais:
BH faz, nesta quinta, repescagem de vacinação contra a Covid para grupos que tomaram Pfizer
Taxa de transmissão da Covid sobe e número de infectados passa de 7 mil em BH