Pesquisa inédita relaciona atendimento precoce a prematuros com melhor qualidade de vida no futuro

Mariana Hilbert*
@marianahilbert
09/11/2021 às 10:35.
Atualizado em 05/12/2021 às 06:13
 (Pixabay/Divulgação)

(Pixabay/Divulgação)

Novembro é o mês dedicado à sensibilidade e cuidados a bebês prematuros. O objetivo da campanha, denominada Novembro Roxo, é alertar sobre os riscos existentes em partos prematuros, como preveni-los e quais as consequências para os recém-nascidos. Uma pesquisa inédita, de iniciativa do Centro de Atendimento e Inclusão Social (Cais), com a aprovação o Ministério da Saúde, lançada neste mês, alerta para a relevância do tratamento precoce e atencioso a bebês prematuros, ou que sofreram alterações durante o parto, e o impacto disso ao longo da vida.

No próximo dia 17, data reconhecida como dia Mundial da Prematuridade, a pesquisa será tema de debate em audiência pública na Câmara Municipal de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A pesquisa

De autoria da superintendente do Cais, Cristina Abranches, desenvolvida com mais sete psicanalistas, o estudo propõe ações para aprimorar o atendimento a esses recém-nascidos. O estudo aponta que as consultas básicas devem ter duração de três anos, com acompanhamento de psicanalistas após diagnóstico, pois, segundo ela, os danos da prematuridade não se limitam à saúde física e atingem também a saúde psíquica.

A pesquisa avaliou crianças que passaram e tiveram alta pelos programas Acompanhamento de Bebês (AB) e o Núcleo de Intervenção Precoce (NIP), entre 2016 a 2019, e foi concluída neste ano. Jáder Rezende/Divulgação / N/A

  O estudo propõe ações para aprimorar atendimento a esses recém-nascidos

Segundo a psicanalista Simone Gordiano, a prematuridade pode prejudicar a criança independente dos níveis. "Nos achados da pesquisa, percebemos que a prematuridade se comporta como um quadro que pode acarretar risco psíquico independentemente do grau", explicou.

Cristina Abranches aponta que houve o fluxo de entrada das crianças pequenas e recém-nascidos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) neonatal é maior. 

Questões psíquicas

Abranches acrescenta que as crianças atendidas precocemente apresentam um resultado mais favorável em relação às que foram atendidas tardiamente. “Muitas vezes estes quadros psíquicos estavam associados a alguma intercorrência e a um comprometimento orgânico, mas em outros não era evidente”.

Ela ainda diz que diversas pesquisas verificaram diferenças significativas no estado de saúde e nas condições cognitivas, no desempenho escolar e comportamento mental comparadas a crianças não prematuras", pontua.

Dados da prematuridade

Conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), 15 milhões de bebês nascem fora do tempo no mundo. Sendo que 1 milhão desses recém-nascidos morrem dias após o parto. A prematuridade é um dos principais motivos para mortes de crianças menores de 5 anos, ficando atrás apenas da pneumonia.

Ainda conforme a OMS, existem níveis de prematuridade, sendo eles:

Extremamente prematuro: menos de 28 semanas de gestação
Muito prematuro: 28 a 32 semanas de gestação
Prematuro moderado a tardio: 32 a 37 semanas de gestação

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por