Militares do Grupamento de Ações Táticas Especiais (Gate) voltaram a ser acionados em Belo Horizonte após uma nova ameaça de bomba. Desta fez, o chamado aconteceu nesta quinta-feira (4) na região da Pampulha. Porém, assim como nas três chamadas registradas na última semana, tratava-se de alarme falso.

Segundo a Polícia Militar, o caso desta quinta aconteceu na rua Roquete Mendonça, no bairro São José, onde populares desconfiaram de um saco preto abandonado na via. O Gate foi ao local e constatou que havia saco uma blusa, uma chave de fenda, além de outros objetos pessoais.

Alarme falso

Na terça-feira (2), a PM atendeu a dois chamados de suspeita de bomba. Durante a noite, um suposto artefato abandonado na região hospitalar da capital causou temor. Militares do 1º Batalhão foram acionados na avenida Professor Alfredo Balena, no bairro Santa Efigênia, região Leste da cidade, onde uma caixa de aproximadamente 40 centímetros com um artefato de dispositivo havia sido abandonado.

Por causa da suspeita de bomba, ruas e avenidas da região tiveram que ser isoladas e interditadas. Militares do Gate, com vestimentas próprias para o desarmamento de bombas, atuaram no local e descobriram que o artefato não era explosivo. Porém, o material tinha peso, fios e botões acionadores, tipo detonadores, semelhantes a uma bomba. O artefato foi detonado e ninguém se feriu na ocorrência.

Saiba mais:
Terceira ameaça de bomba em menos de uma semana mobiliza Gate em BH
Batalhão Olímpico registra 17 prisões e 38 ocorrências desde segunda-feira

Também na noite de terça, uma falsa ameaça de bomba assustou os passageiros na estação de metrô São Gabriel. O alarme foi causado por uma mochila sem dono que foi deixada em um banco. Posteriormente, foi constatado que o objeto foi apenas esquecido pelo dono na estação. Durante os trabalhos, o serviço de metrô na estação foi interrompido por 23 minutos nos dois sentidos.

Na última quinta-feira (28), um bilhete com os dizeres: “Eu sou terrorista e há uma bomba aqui. Descansem em paz” foi deixado em uma agência bancária na Savassi, região Centro-Sul. Apesar do pavor, vistorias foram realizadas e nenhum explosivo foi encontrado.