O luxuoso salão de festas Domus XX estava com o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) vencido desde março de 2013. O estabelecimento, que fica na avenida Toronto, bairro Jardim Canadá, em Nova Lima, Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi destruído por um incêndio em maio deste ano. "Isso não quer dizer que as condições no local eram inseguras, mas que a documentação estava irregular", explicou o capital Frederico Paschoal.
 
Conforme o militar, o AVCB é obrigatório para todos os estabelecimentos comerciais, principalmente os que atendem público, e no documento consta o projeto de prevenção de incêndio. "Após a aprovação e execução do projeto, os bombeiros avaliam se ele foi realizado conforme o previsto. O AVCB tem validade de 3 anos. Após esse período, não é necessário fazer nova vistoria dos bombeiros, mas um engenheiro tem que ser contratado para emitir um laudo de segurança, que deve ser encaminhado aos bombeiros. No caso do Domus, eles não adotaram esse procedimento", disse.
 
Por meio de nota, o Domus XX rebateu a informação do Corpo de Bombeiros e informou que na data do incêndio o salão estava com toda documentação para funcionamento em perfeita legalidade, tanto junto aos bombeiros quando à prefeitura de Nova Lima. "Com relação ao AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), a casa já possui o referido documento aprovado junto ao órgão fiscalizador, sendo que o mesmo, vencido em 17/03/2013, conforme destacado no Boletim de Ocorrência do sinistro, já estava em andamento para renovação anual, pois o referido órgão havia solicitado intervenções. Para tal função, o Domus XX contratou empresa especializada, e credenciada pelo CBMMG, para fazer as adequações. O estabelecimento, além de possuir todo o sistema preventivo e projeto de incêndio, já havia protocolado junto ao Corpo de Bombeiros, datada de 23/4/2014 às 15h37, a solicitação para a vistoria final e emissão do AVCB".
 
O inquérito que apura o caso deve ser concluído nos próximos dias, mas o salão de festas só deve voltar a funcionar em setembro deste ano. O Domus informou que a reconstrução do teto do salão já foi iniciada e que o restante da estrutura não foi comprometida.
 
O incêndio ocorreu no dia 17 de maio de 2014, quando as chamas consumiram com todo o galpão, mobiliário e aparelho de som do salão, que tem capacidade máxima para 1.200 pessoas sentadas e 2.000 em pé. O fogo foi combatido por equipe do Corpo de Bombeiros, que descobriu que o incêndio começou no teto e, ao atingir material inflamável, se alastrou rapidamente. Quatro viaturas foram encaminhadas para fazer o combate e tudo indica que o incêndio tenha sido motivado por um curto-circuito. Devido aos danos, a cerimônia religiosa e festa de casamento que seriam realizados no local foram cancelados.