O Mineirão sediará cinco jogos da edição 2019 da Copa América e Belo Horizonte deve receber turistas de pelo menos sete países no próximo mês. Por causa do intenso fluxo de pessoas de diferentes localidades do mundo pelo Brasil, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) preparou uma série de recomendações a nativos e estrangeiros para evitar a transmissão de doenças.

De acordo com a diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Janaina Fonseca Almeida, como a situação de saúde de cada um dos países no mundo é diferente da brasileira, há o risco de chegada de algumas doenças transmissíveis originadas em outros países.

“Podemos dar como exemplo o sarampo, a rubéola, a difteria, a influenza, a catapora entre outras, que podem pôr em risco a saúde da população brasileira desprotegida”, explicou.

Já os turistas vão se deparar com um momento de surto de dengue em Belo Horizonte. Em Minas Gerais, foram registrados mais de 247 mil casos prováveis da doença desde janeiro e 38 mortes já foram confirmadas – outras 92 são investigadas por meio de exame laboratorial.

Por isso, os turistas receberão a recomendação do uso de repelentes à base de icaridina, para proteção mais eficaz. Além disso, faz-se o alerta para as infecções sexualmente transmissíveis como AIDS, sífilis e hepatite B, para as quais são indispensáveis o uso de preservativos como método preventivo.

Para Janaína, tanto moradores da capital mineira quanto turistas devem ter cuidados com a higiene e a ingestão de alimentos para não se contaminarem com novos vírus e bactérias. Segundo ela, deve-se ter consumo de água e alimento de fontes seguras; limpar as mãos com água e sabão e antes de cada refeição ou a utilizar antisséptico à base de álcool como medida de reforço. “Na hora de tossir ou espirrar, deve-se cobrir a boca com a parte interna do braço, evitando assim a propagação de agentes infecciosos respiratórios. São comportamentos muito simples e eficientes de prevenção”, explica.

Aos turistas estrangeiros, há ainda a recomendação de uma vacinação prévia para doenças presentes no Brasil, mesmo que não haja exigência de comprovação da situação vacinal do visitante estrangeiro para ingresso no território brasileiro.

“O ideal é que a pessoa se vacine pelo menos 15 dias antes da viagem a locais com eventos internacionais. São recomendações válidas para o público local e também oriundo de outros países, sejam aqueles que vêm ao nosso estado para participar do evento esportivo, sejam os que estão em deslocamentos a pontos turísticos. As vacinas minimamente recomendadas são as que protegem contra febre amarela, sarampo, caxumba e rubéola”, indicou o coordenador de Doenças e Agravos Transmissíveis da SES, Gilmar José Coelho Rodrigues.

A Copa América de 2019 será realizada entre os dias 14 de junho e 7 de julho, contando com dez seleções sul-americanas e dois convidados, Japão e Qatar. Até o momento, segundo os organizadores, foram comercializados mais de 350 mil ingressos.

Veja os jogos programados para Belo Horizonte:

Grupo A

22/6 – 16h – Bolívia x Venezuela – Mineirão/Belo Horizonte

 

Grupo B

19/6 – 21h30 – Argentina x Paraguai - Mineirão/Belo Horizonte

 

Grupo C

16/6 – 19h – Uruguai x Equador - Mineirão/Belo Horizonte

24/6 – 20h – Equador x Japão - Mineirão/Belo Horizonte

 

Semifinais

2/7 – 21h30 – V19 x V21 - Mineirão/Belo Horizonte