Essencial para o exercício da advocacia, o exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) bate à porta de bacharéis em Direito. A segunda aplicação do teste de 2019 será em junho, e as inscrições estarão abertas a partir de 3 de maio. Quem quer garantir a credencial para trabalhar na área precisa estar atento.

A prova é obrigatória para estudantes matriculados nos dois últimos períodos da faculdade e pessoas que já se graduaram e desejam atuar.

O processo é dividido em duas etapas, sendo a primeira a aplicação de um teste objetivo, com questões de múltipla escolha. Os aprovados participam da segunda fase, em 18 de agosto, que consiste na prática.

Rotina

Rosimeire Rodrigues, de 32 anos, garante estar se preparando para encarar a prova. Testes antigos e aplicativos são usados para reforçar o aprendizado.

Matriculada no 9º período do curso de direito, Rosimeire acorda cedo para assistir videoaulas no YouTube. “Tento me manter o mais calma possível, porque ainda estou na graduação e não há tanta pressão da família”.

Para se dar bem no exame, a estudante busca se aprofundar nas matérias que tem mais facilidade, como direito penal. “E respiro bastante para fazer os exercícios”, comenta.

Importante

Coordenador do curso de direito das Faculdades Promove e presidente da Comissão de Educação Jurídica da OAB-MG, Emerson Castro reforça que o exame é importante pois declara proficiência do candidato ao exercício da advocacia. Segundo ele, a aprovação na OAB é essencial para o relacionamento que a classe mantém com órgãos do Judiciário, por exemplo.

O especialista sugere atentar-se bem para a segunda etapa, que leva em conta a prática profissional escolhida pelo candidato. 

“Se ele opta por direito penal, pode direcionar o trabalho de conclusão de curso, as atividades complementares e, dessa maneira, potencializar o aprendizado nesse ramo para o exame da OAB”.

A dica é válida, garante Jander Rodrigues da Mota, de 32 anos, aluno do 10º período de direito do Promove. Ele garantiu a carteirinha da OAB no semestre passado.

Jander faz o trabalho final da graduação sobre direito penal. “Na segunda fase da prova estava com tudo fresco (na cabeça)”, diz.

Leia mais:

Fake news: notícia de que exame da OAB não é obrigatório para advocacia é falsa