Mais um protesto dos policiais rodoviários federais é feito nesta quinta-feira (9), segundo dia de protesto por reconhecimento da categoria. Assim como aconteceu nessa quarta-feira (8), os policiais fazem uma operação, no km 499, da BR-381, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), para verificar possíveis irregularidades em veículos que passam no local. Com isso, de acordo com a PRF uma fila de carros se formou na rodovia - até agora foram registrados 10 quilômetros de congestionamento. 

O Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado de Minas Gerais informou que a categoria reivindica um reajuste salarial, a ampliação no número de agentes, que atualmente é de 800 no estado. Segundo o sindicato, esse efetivo deveria ser de 2 mil. A previsão é de que o protesto seja durante toda a quinta-feira (9). 
 

 

A ação está ocorrendo em outros estados do país como Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. "Atualmente somos 800 em Minas, precisaríamos do dobro para que a segurança fosse feita do modo correto", afirmou Maria Inês Miranda, presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais de Minas Gerais.
 
O número de policiais rodoviários federais foi reforçado na ação, segundo a presidente Maria Inês, muitos voluntários apoiaram o movimento. "Trabalhamos na escala de 24h/72h, mas é comum sermos acionados para fazer alguma operação no segundo dia da folga, principalmente, em feriados, por isso muitos aderiram ao movimento", disse. 
 
Para ser um policial rodoviario federal é preciso ter nível superior, porém, de acordo com Maria Inês, o Ministério do Planejamento não reconhece a carreira como sendo do nível superior. "Queremos o mesmo tratamento que outras carreiras do Estado que são de nível superior", afirmou.
 
Os veículos que passam pela rodovia federal são abordados aleatoriamente e a previsão é de que a lentidão prossiga na via até o fim da operação - que tem previsão para acabar ao meio-dia desta quarta-feira. 
 
A ação, segundo o Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais de Minas Gerais, não tem relação com a paralisação dos policiais federais que está em seu segundo dia. Nessa quarta, os delegados também anunciaram paralisação nacional.