Só nos primeiros dez dias de agosto, Jussara*, de 46 anos, registrou quatro boletins de ocorrência contra ameaças de morte feitas pelo ex-marido. Na noite deste sábado (10), ele finalmente foi preso em flagrante por descumprimento de medida protetiva pela Companhia de Prevenção à Violência Doméstica da Polícia Militar, no bairro Cachoeirinha, região Noroeste de Belo Horizonte.

O Hoje em Dia mostrou a história de Jussara* na última quarta-feira (7), a vítima, que havia ido até a Delegacia de Mulheres da capital pedir socorro. Na noite anterior, o ex teria cortado os cabos de energia da casa em que ela vive com os filhos do casal, e tentado entrar no local com uma faca. 

A intimidação, no entanto, não parou por aí. Neste sábado, o agressor, que vive em frente à vítima, disse, por telefone, que iria esfaqueá-la porque ela procurou a polícia. Em ronda diária, os militares encontraram o homem tentando entrar na casa da mulher. Com isso, ele foi preso e levado à delegacia, na avenida Barbacena.

O tenente Gilmar Meireles, que atendeu a ocorrência, disse que verificou no sistema de patrulhamento de violência doméstica diversos pedidos de ajuda realizados pela vítima. "Esse é um caso mais grave, temos inúmeros registros da Polícia Militar sobre ele. Não sei nem precisar quantas vezes ela [Jussara] já prestou queixa desde o início do ano. Fomos fazer uma visita e ele estava lá na porta", afirma.

 

Medida protetiva

Jussara* tem uma medida protetiva contra o ex-companheiro desde que ele começou a atormentar a família, insatisfeito com o fim do casamento, em 2014. Ele deve ficar a 250 metros dela, e não tentar contatá-la de qualquer modo. Esse ano, o homem chegou a ser preso outra vez, por descumprir a ordem judicial de afastamento e, assim que tirou a tornozeleira eletrônica, voltou a ameaçá-la. 

“Vou ter que esperar ele me matar? Meu medo é que isso aqui [a medida protetiva] é só um papel, não impede nada. Ele não tem o que perder e pode me matar, matar os nossos filhos”, disse a vítima ao Hoje em Dia, na quarta (7), data em que a Lei Maria da Penha completou 13 anos. 

Segundo o tenente Gilmar Meireles, o autor das ameaças já estava sendo monitorado novamente com tornozeleira, colocada nessa sexta (9). 

*Nome fictício

Leia mais
Lei Maria da Penha protege mais 'no papel' e deixa mulheres em risco