Um homem acusado de tentar matar a ex-namorada e ter vitimado a tia da companheira, em maio de 2016, no bairro União, irá a júri popular por feminicídio na capital mineira. A decisão foi da juíza sumariante do 2º Tribunal do Júri de Belo Horizonte,  Malin Aziz Sant'Ana.

Na ocasião, o suspeito foi até a casa da ex-namorada portando um revólver e exigiu que a vítima fosse até a casa da tia. Chegando lá, o homem desferiu vários disparos contra as duas, matando a tia e ferindo a ex. O casal tem um filho e as desavenças relacionadas à criança seriam a motivação do crime, segundo o acusado, que cumpre prisão preventiva.

Em depoimento à Justiça, a mulher afirmou que havia terminado o relacionamento dois meses antes do crime e estava sendo ameaçada pelo ex nas redes sociais. O homem, no entanto, sustenta a versão de que estaria sendo impedido de ver o filho e que, durante a discussão, a ex-namorada tentou esfaqueá-lo. 

A vítima foi atingida com dois tiros e a tia, na tentativa de proteger a sobrinha, entrou na frente, também foi baleada e morreu. De acordo com a magistrada, a existência do crime estaria comprovada em relação às duas familiares, o que levará o caso a júri popular. A data do julgamento ainda não foi definida.