Menos da metade das crianças de seis meses a 5 anos está protegida da gripe em Belo Horizonte. Balanço do Ministério da Saúde aponta que só 43% deste grupo prioritário tomou a vacina contra a doença. Faltando 22 dias para o fim da campanha de imunização, e após um sábado inteiro voltado para a vacinação, o ideal era que 50% dos menores já tivessem recebido a dose. 

Na capital, uma morte por influenza já foi confirmada. O alerta é reforçado com a queda de temperatura prevista para os próximos dias, que pode chegar a 12°C nas madrugadas, além de pancadas de chuva que devem ocorrer. Ontem, os termômetros registraram 17°C.

Fake news

Os mitos provocados pelas fake news, que prejudicam as coberturas vacinais em todo o país, são ainda mais graves quando o assunto é imunização contra a gripe. Virologista do Departamento de Microbiologia da UFMG, Flávio Fonseca acredita que há uma cultura de desvalorização da dose.

Segundo ele, informações falsas colocam em xeque a qualidade da vacina, oferecida gratuitamente nos postos de saúde. “Existe um preconceito, uma aversão em relação à segurança. Há muitos boatos de que pode trazer uma gripe. Isso faz com que alguns pais não a priorizem”, afirma.

No último sábado, em visita a Belo Horizonte durante o Dia D da mobilização nacional, o secretário de Vigilância à Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, disse que as <CF36>fake news</CF> têm atrapalhando a campanha. Na ocasião, ele não descartou estender a ação, que termina em 31 de maio. 

“Não podemos perder vacina porque não houve procura na unidade de saúde. Precisamos da ajuda da população e, principalmente, dos pais, porque as crianças não vão aos postos sozinhas”, disse Oliveira.

A estudante Eduarda Santana, de 20 anos, não perdeu tempo. Pelo segundo ano, levou a filha Giovana Luíza, de 1, ao posto Tia Anância, no bairro Coração de Jesus, na região Centro-Sul. “Muitas pessoas ficam com receio, mas eu faço questão. É importantíssimo para a saúde dela”.

Além da necessidade de levar os filhos às unidades de saúde, os pais devem ficar atentos a outros cuidados que devem ser redobrados nesta época do ano. 

Manter as mãos higienizadas e evitar a permanência em ambientes com pouca circulação de ar são medidas importantes de prevenção, destaca a professora Lilian Martins, do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG.

Conforme a especialista, além das infecções de garganta, coriza e febre, o influenza causa dores no corpo e cansaço. “Com a epidemia de dengue, os pais precisam intensificar ainda mais os cuidados. Neste caso, o repelente é uma boa maneira de prevenção. Mas a vacina é imprescindível em relação à gripe”.

Vacinas

Em BH, a imunização pode ser encontrada nos 150 postos de saúde. As salas de aplicação funcionam de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. A meta da prefeitura é vacinar 876 mil pessoas incluídas no público-alvo.

Colaborou Bruno Inácio

Gripe