Servidores do Hospital Municipal Odilon Behrens (HOB) fazem, na manhã desta quarta-feira (29), manifestação para cobrar da Prefeitura de Belo Horizonte a manutenção do pronto-socorro na esfera de responsabilidade do município. No local, funcionários e usuários são convidados a dar um abraço simbólico na casa de saúde. A ação, programada para terminar às 11h30, não afeta o funcionamento do hospital. 

De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel), o ato é motivado por estudos de viabilidade feitos pela Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) para alteração do atual estatuto do hospital para o chamado Serviço Social Autônomo (SSA).

Segundo Israel Arimar, presidente do Sindibel, a modificação na gestão representa risco futuro de privatização do pronto socorro. "Na prática, com a mudança para SSA, o HOB não precisaria mais contratar servidores públicos e alguns serviços oferecidos poderiam passar a ser cobrados", disse o sindicalista. 

Ato no HOB

Manifestação não afeta funcionamento do hospital


Outro ponto criticado pelo Sindibel é o remanejamento de 2.600 funcionários públicos do Odilon para a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA). "Após a realocação, os trabalhadores seriam 'emprestados' para o hospital'", afirmou Arimar. 

Sem privatização
Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde confirmou que a mudança no regime jurídico está em análise pela Prefeitura de Belo Horizonte. No entanto, afirmou que não há qualquer possibilidade de privatização do local. 

Segundo a SMSA, a direção do HOB desenvolve vários projetos no complexo hospitalar para a melhoria do atendimento e ressalta que a manifestação não afeta as atividades hospitalares nesta quarta-feira. 

Leia mais:
E a saúde, como vai?
...Saúde pública, uma necessidade e dever...