Após cinco meses de interrupção, devido à pandemia, 60 militares do Corpo de Bombeiros retomaram, nesta quinta-feira (27), as buscas pelos 11 desaparecidos da tragédia em Brumadinho, na Grande BH. Conforme a corporação, neste reinício estão sendo priorizadas seis frentes de trabalho.

Um dos destaques de hoje fica por conta da utilização de uma máquina de peneira vibratória, que representa o último estágio para a tentativa de localização de corpos. "Ela é a última possibilidade, caso algo tenha passado despercebido", registra o coronel Alexandre Rodrigues, do Corpo de Bombeiros.

O equipamento foi cedido pela Vale. Ele chegou a ser utilizada durante a paralisação, durante as obras de preparação do terreno. Porém, essa é a primeira vez que atua em conjunto com os militares, que também têm usado retroescavadeiras, caminhões e drones.

A operação segue pelo menos até novembro, antes do início do período chuvoso. “Com a paralisação, houve uma drenagem do terreno, deixando o rejeito mais seco, o que faz com que o bombeiro não precise ter contato com a lama. Encerrando as operações em novembro e não encontrando todos os desaparecidos, vamos sentar e fazer um novo planejamento", explicou o coronel.