Os setores de móveis e eletrodomésticos são os que mais se prepara para as promoções da Black Friday deste ano em Minas, com 81% das lojas planejando ações. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (17) e são da pesquisa coordenada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio-MG). 

De acordo com o levantamento, cerca de 30% do comércio varejista mineiro pretende realizar ações especiais. Além disso, 17,5% das empresas planejam descontos superiores a 50%.

Depois de móveis e eletro, lojas de equipamentos e materiais para escritório, informática e de comunicação são as que mais se destacam, com 75% preparando alguma ação; tecido, vestuário e calçados, com 67%; e artigos de uso pessoal e doméstico, com 61,9%.

Vendas

A data marcada pelas promoções ocorre na última sexta-feira de novembro, dia 26 neste ano, e alimenta a esperança dos lojistas em elevar o faturamento. Mais de 45% dos empresários esperam aumentar o volume de vendas em mais de 25% devido a Black Friday.

O cenário, no entanto, não é de otimismo generalizado. Para 40,5% dos empresários, a crise econômica e o baixo fluxo do comércio terão influência no impacto da Black Friday; 25,9% apontam o desemprego e a falta de dinheiro do consumidor como fator complicador; e 20,7% afirmam que a falta de dinheiro para investir em ações para a data afetam um eventual aumento de vendas.

As lojas que planejam ações para a Black Friday têm como iniciativas mais empregadas a oferta de maior variedade de marcas e produtos e descontos ou promoções, utilizadas por 25,9% e 25% das empresas, respectivamente.

A pesquisa foi realizada entre 19 e 27 de outubro e ouviu 400 empresas em todas as regiões de Minas. Os dados completos podem ser consultados neste link.

Leia mais:
Após quase dois anos de isolamento, viajar vai sair caro, mas nem isso desanima turistas
Consulta ao Auxílio Belo Horizonte começa nesta quarta-feira; veja quem tem direito e como proceder