Teve início na tarde desta segunda-feira (25) a audiência de instrução de Antônio Donato Baudson Peret, de 25 anos, o "Donato Di Mauro". Ele causou revolta ao publicar nas redes sociais uma foto em que aparece enforcando um morador de rua com uma corrente. A agressão ocorreu na Savassi, região Centro-Sul de Belo Horizonte, em abril deste ano.
 
O julgamento ocorre na sede da Justiça Federal, na avenida Álvares Cabral, bairro Santo Agostinho, também na região Centro-Sul da capital. Por se tratar de segredo de justiça, não foi divulgada informações sobre o caso, como quantas pessoas serão ouvidas e quando a audiência será encerrada.
 
Peret foi preso no dia 14 de abril deste ano, mas solto no dia 23 de outubro devido a um alvará de soltura concedido pela juíza federal Raquel Vasconcelos Alves de Lima, da 9ª Vara. Além dele, Marcus Vinícius Garcia Cunha, de 26 anos, e João Matheus Vetter de Moura, de 20, que também são apontados como integrantes de um grupo neonazista que agia na capital mineira, já estão em liberdade. O primeiro deixou o sistema prisional em 8 de outubro e o segundo conseguiu a liberdade em 22 de abril. Todos eles estavam reclusos na Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH. 
 
O caso
 
O episódio de cunho racista e com apologia ao nazismo, ocorrido em Belo Horizonte, ganhou proporção diferenciada e reação imediata, uma vez que as imagens foram publicadas por meio das redes sociais. Na foto, o internauta Donato di Mauro, também conhecido com Tim, aparece enforcando um morador de rua com uma corrente, em plena luz do dia, na praça da Savassi, região Centro-Sul da capital. Após várias manifestações de repúdio ao ato preconceituoso de racismo, incluindo ameaças de denuncia aos órgãos competentes, o internauta, que é skinhead assumido, apagou a postagem. No entanto, o conteúdo já havia sido disseminado pela internet.