Minas já registrou doze mortes por dengue em 2019 e outras 33 são investigadas pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). Segundo a SES, 99.599 casos prováveis foram registrados, que levam em conta os confirmados e suspeitos. Os dados são do boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (8). 

São mais de 18 mil casos em uma semana, mas a secretaria lembra que a maioria dos registros da doenças ocorre nesse período do ano por causa dos meses quentes e chuvosos, ambientes propícios para a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Ainda de acordo com a SES, as mortes foram registradas em Arcos (1), Betim (6), Paracatu (1), Uberlândia (2) e Unaí (2). Oitenta municípios estão com incidência muito alta de casos prováveis de dengue, 48 apresentam incidência alta e 101 municípios com média incidência. 

Somente em Belo Horizonte, até agora, são 10.984 e a capital, apesar de estar na classificação de incidência alta da doença ainda não registrou nenhuma morte. Já Contagem e Betim, na Região Metropolitana, apresentam incidência muita alta com 5.738 e 11.168 respectivamente. E das 12 mortes registradas, metadade são de Betim.

Em relação à febre chikungunya, o Estado já registrou 1.077 casos prováveis em 2019. Não houve registro de óbitos suspeitos da doença e quanto ao vírus da zika, 381 casos são investigados pela secretaria.

Leia mais:
Bactéria é esperança para incapacitar inseto transmissor da dengue
Capitais têm tido períodos hiperepidêmicos de dengue a cada três anos
Explosão da dengue em Minas leva Estado a elaborar decreto de emergência