O número de mortos na tragédia de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, subiu para 225, de acordo com informações da Defesa Civil, divulgadas nesta quarta-feira (10). 68 pessoas ainda seguem desaparecidas após o rompimento da barragem I da Mina do Córrego do Feijão

Ainda de acordo com órgão, a variação dos números em relação ao último levantamento, há dois dias, se deve a uma vítima dada como desaparecida que foi identificada entre as fatais.

A barragem da Vale se rompeu no início da tarde do dia 25 de janeiro, deixando um rastro de lama, destruição e mortes. O rejeito soterrou casas, pousada e atingiu o rio Paraopeba, um dos afluentes do rio São Francisco.

Nesta quarta as buscas completaram 76 dias e o foco dos trabalhos do Corpo de Bombeiros continua na melhoria dos acessos à área do terminal rodoviário, conhecida como "Pêra", para o transbordo da carga da locomotiva encontrada no local.

Além disso, os militares trabalham na alteração no curso d´água do córrego Ferro Carvão, na área da ponte Alberto Flores. Parte do fluxo será desviado para as bombas da estação de tratamento, onde serão instaladas manilhas para o início da construção da estrada que ligará as duas partes do remanso III.

Homenagem

Também nesta quarta, a corporação homenageou o voluntário José Márcio pela determinação e força de vontade desde o início da operação Brumadinho. Em agradecimento, ele hasteou a bandeira do Brasil.

Homenagem voluntário Brumadinho

Leia mais:
Abastecimento de água na Região Metropolitana de BH está garantido por 18 meses, diz Copasa
Destruída em rompimento, ponte em Brumadinho será entregue nesta quarta
TJ amplia centro de mediação de conflitos em Brumadinho para atender atingidos