O número de mortos após a rompimento da barragem do Córrego de Feijão, em Brumadinho, subiu para 37, na manhã deste domingo (27). Até sábado (26), a quantidade oficial era de 34 mortos. Em alguns casos, foram encontrados somente "segmentos de corpos", pernas e braços, o que dificultaria a identificação das vítimas, segundo o Corpo de Bombeiros.

Do total de corpos encontrados, 21 estão no Instituto Médico Legal (IML), na Gameleira, região Oeste de BH. Na Acadepol, próxima ao IML, foi montada uma central onde são coletadas informações de familiares para ajudar na identificação dos corpos. 

Em Brumadinho, as buscas seguem suspensas, devido ao risco de rompimento de outra barragem no complexo da Vale na cidade. Pela manhã, uma sirene avisou sobre a chance de rompimento da estrutura B6, onde foi detectado aumento nos níveis de água.

A população da região, especialmente das comunidades do Córrego de Feijão, Tejuco e Parque das Cachoeiras, foi orientada a deixar as casas e ir para partes mais altas. Cadetes da Academia de Bombeiros Militar atuam na retirada das famílias da área de risco do novo rompimento. 

Leia mais:

Em alerta: moradores de Brumadinho acordam com sirene e são orientados a deixarem suas casas
Vítimas de Brumadinho começam ser sepultadas neste domingo
Bombeiros suspendem buscas em Brumadinho devido a risco de novo rompimento