Os sobreviventes da tragédia que ocorreu após o rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Grande BH, e que atualmente trabalhavam escavando rejeitos na chamada "zona quente" - área atingida pela enxurrada de lama -, serão realocados. A decisão foi tomada nesta semana após reunião na 5ª Vara do Trabalho, em Betim.

O pedido foi feito pelo sindicato Metabase Brumadinho, que representa os trabalhadores da Vale, e aceito pela mineradora. De acordo com o advogado Luciano Pereira, o Metabase apresentou uma série de propostas para aumentar a segurança dos funcionários que estão removendo a lama nos locais que já foram vasculhados pelo Corpo de Bombeiros.

De imediato, conforme o representante do sindicato, a Vale concordou em retirar os sobreviventes do local da tragédia. "Eles serão remanejados e podem até ser deslocados, desde que desempenhe as atividades para quais foram contratados", explicou.

Para os demais funcionários da Vale que estão na "zona quente", o Metabase propôs diversas ações para diminuir os riscos e sobrecarga de trabalho. "Queremos que sejam adotadas medidas de segurança iguais as que estão sendo utilizadas pelo Corpo de Bombeiros que fazem as buscas por corpos no local". 

Dentre elas estão a vacinação contra doenças, desinfecção após a jornada de trabalho, intervalo maior de descanso e refeição reforçada. Além disso, o sindicato também tenta reduzir a carga horária de trabalho de 8h para 6 h. A juíza responsável pelo caso deu prazo de cinco dias úteis para que a Vale se manifeste. Desta forma, a mineradora tem até a próxima terça-feira (16) para informar se concorda ou discorda das medidas.

O advogado do Metabase disse que o pedido do sindicato não tem relação com o resultado dos exames feitos em oito cães dos bombeiros que atuaram no resgate das vítimas e que apresentaram alterações na taxa de metais pesados.

Procurada pela reportagem para comentar sobre a audiência e sobre a retirada dos sobreviventes da área atingida pela lama, a Vale declarou: "Sobre a proposta apresentada pelos sindicatos, a Vale se manifestará no prazo determinado".

Tragédia

O rompimento da barragem em Brumadinho, na Grande BH, aconteceu no dia 25 de janeiro deste ano. A tragédia deixou, até o momento, 247 mortos. Outras 23 pessoas continuam desaparecidas e estão sendo procuradas pelo Corpo de Bombeiros.

Leia mais:
Polícia Civil emitirá carteiras de identidade em posto itinerante em Brumadinho
Bombeiros resgatam cavalo atolado em rio de Brumadinho; veja vídeo
Justiça ouve, pela primeira vez, dez atingidos pela tragédia em Brumadinho