O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), rebateu nesta terça-feira (12) as críticas que recebeu do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que alfinetou o representante da capital por recuar no plano de flexibilização e determinar o fechamento de serviços não essenciais.

A crítica de Bolsonaro foi feita durante uma conversa do presidente com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília. Ele falou sobre a situação econômica do Brasil e relacionou o desemprego às medidas restritivas tomadas por estados e municípios, citando Belo Horizonte.

“Quem é que roubou o emprego de vocês aqui? Fui eu? Eu fechei alguma coisa? Não fechei nada. Fecharam tudo, e agora estou vendo alguns prefeitos fechando novamente, como o de Belo Horizonte. Fechando para quê?”, questionou o presidente.

Em resposta, Alexandre Kalil assumiu a responsabilidade “por tudo que acontece na cidade”, referindo-se às medidas tomadas como forma de prevenção à Covid-19, e citou a autonomia garantida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) aos municípios durante a pandemia. “E sou mesmo (culpado), eu fui obrigado pelo Supremo Tribunal Federal a pegar essa bucha porque os governos não tiveram coragem de pegar. Eu não peguei porque eu quis não, porque eu sou mandão não, peguei porque o STF disse o seguinte ‘olha, do jeito que está, não dá, cada município cuide de si’. Então, eu sou o culpado de tudo que acontece nessa cidade sim, realmente sou o responsável, por isso eles não vão buzinar na porta do palácio, vão buzinar aqui”, disse o gestor em entrevista à rádio Itatiaia, nesta terça.

Ainda rebatendo as críticas, ele pediu para que o presidente passe a chamá-lo pelo nome. “Respeito o presidente da República, só que ele sabe meu nome. Porque quando ele tinha 2% (das intenções de voto na eleição em 2018) ele humildemente pediu uma audiência na prefeitura e foi recebido. Ele sabe que eu chamo Alexandre Kalil, ele fala prefeito Alexandre Kalil porque ele sabe meu nome”, concluiu.

Leia mais:
CoronaVac tem eficácia geral de 50,38%, afirma Butantan; índice cumpre exigências da OMS e Anvisa
Kalil promete ajudar lojistas e espera reabrir comércio de BH em duas semanas
Fechamento de comércio não é política correta contra a Covid-19, diz Bolsonaro